Borboletas, vagalumes, cores e coisinhas

Existe céu, postei esses dias. Existe casa. Existe gente. Existe conforto. Quando confortável falo muito muito muito. E rio alto. E me desfaço em mil pedacinhos pelo ar. Existe céu e existe paisagem e existem montanhas por trás de tudo que eu olho, pelos caminhos por onde passo, pra me lembrar que existe mato quando a cidade cansa. Pra me lembrar que a natureza resiste, ainda, por entre tudo que se constrói. Construir é da nossa natureza, e eu gostaria que destruir não fosse. Como se fosse …Continue lendo.

Gratidão

Hoje foi um dia cheio de uma porção de coisas que me fizeram sentir muito bem. Comecei o dia propondo uma experiência na página da minha empresa, de escolher cinco razões pra ser grato pelo início de mais uma semana. A ideia é encontrar essas cinco razões diferentes toda manhã de segunda feira, como forma de olhar a vida com outros olhos e perceber que mesmo nos piores momentos, sempre temos algo a agradecer. Por piores que as coisas pareçam de vez em quando, existe sempre o contorno prateado …Continue lendo.

Um pouco um muito sobre mim

Choro toda vez que ouço Don’t stop believin’ e não sei bem explicar porque. Só consigo fazer arrumação ouvindo música, mas de vez em quando preciso de silêncio pra continuar. Odeio andar de ônibus sem fone de ouvido e normalmente me deixa perturbada o resto do dia, mas ultimamente tenho me sentido bem ouvindo o barulho da rua e das pessoas. Como se por ouvir as coisas ao redor eu me sentisse parte de algo muito maior do que eu. Algo que os fones de ouvido me impedem de participar. Gosto de …Continue lendo.

Faz-se o caminho ao andar

De vez em quando bate a sensação da perda total do controle. Como se outra pessoa tivesse tomado o volante das nossas mãos e estivesse dirigindo nossa vida, ou feito colocar no piloto automático. Como se nos contentássemos com o papel de melhor amigo quando deveríamos ser protagonistas da nossa própria história. Vira e mexe me sinto assim. Não por ser fraca ou coisa parecida, mas porque é fácil se deixar levar pelo entorno, sem enxergar o panorama completo das situações. Sou muito suscetível …Continue lendo.

Caminhar e caminhar e caminhar

Caminhar é provavelmente uma das minhas coisas favoritas na vida. Aliás, não, sem “provavelmente”: caminhar é definitivamente uma das minhas coisas favoritas na vida. Eu poderia andar por dias e dias. Eu poderia passar todo o meu tempo vagando e ouvindo música e pensando na vida e nos acontecimentos. Além de ser bom pra saúde, andar faz bem por dentro. Quando vagamos – com ou sem destino – somos expostos a novas paisagens, a visões diferentes nos caminhos rotineiros. Dá pra descobrir novos …Continue lendo.

Coração,

Me ajude a fazer a diferença, e a perceber quando faço a diferença e enxergar qual merece ser levada e qual merece ficar. Me ajude a ser vulnerável sem ser suscetível. Vulnerável sem ser fraca, pra perceber quando a outra parte está tomando partido e decidindo minha vida por mim. Me ajude a tomar o volante nas mãos e não soltar nunca mais. Pra dirigir na direção que melhor me couber. Pra parar quando quiser e acelerar quando quiser e ir bem devagarinho quando precisar. Me ajude a processar …Continue lendo.

O avesso

Eu me doo e me dói. Tenho um compromisso importante com a noite e não posso faltar por causa de vocês. Coloco música em tudo que tenho e faço e sou e digo. Eu digo coisas demais quando bebo mas alguma espécie de consciência ainda mora por dentro nesses pequenos lampejos de toda a liberdade do mundo. De toda a liberdade do meu mundo. Eu me doo e dói. Dói porque com toda doação de si mesmo vem pra dentro uma enxurrada de coisas que eu nem queria. Uma porção do que só tem espaço pra entrar …Continue lendo.

Eu uso óculos/ E perco o foco/ Achei ter visto / Mas eu uso óculos/ Não estou chorando/ Não/ Eu uso óculos/ Eu não consigo / Ver os ônibus/ Eu passo do ponto/ Eu uso óculos/ Eu não sei o que sinto/ Eu uso óculos/ Eu uso óculos/ E desinterpreto/ Eu desinteresso/ Eu desinto/ Eu invento palavras/ Porque eu/ Acima de tudo/ Eu uso óculos.

Pra tudo que é e foi e vai e fica

Olho nos olhos, naqueles olhos cheios de olhos. Uns olhos que olham assim, de um jeito assim, que me deixa sem jeito. Assim assado. Assim dessa maneira, sem muito jeito de que eu olhe. Porque os olhos falam e falam e falam e eu não digo não digo não digo. Eu guardo meus olhos. Eu ponho os olhares na gaveta pra garantir que não se percam. Mas passa por mim e sorri. Sorri um sorriso cheio de lábios um sorriso cheio de dentes um sorriso cheio de afeto. Tem um chocolate que chama Afeto e nem é …Continue lendo.

O tempo é infinito

O tempo é infinito, a vida é cíclica. Eu ia conversando com meu irmão e ele ia dizendo essas coisas e a minha mente foi se enchendo de todo o brilho. Brilho brilho brilho muito brilho. Muita luz numa conversa dessa gente meio alta de vinho que éramos nós ontem a noite. Ele ia falando e eu ia falando e eu ia pensando em quanto tudo é bonito. Nada na vida é em vão. Nada passa sem deixar sua marca no tempo e no espaço e na vida. Minha vó morreu há seis anos, mas minha vó morreu? Enquanto …Continue lendo.