Nós, os românticos

Sempre vamos achar que o amor da nossa vida é a última pessoa bonita e etérea que passou por nós. Sempre. Aquele sorriso no canto da boca que brota quando parece que uma frestinha do paraíso se abriu enquanto um perfume suave e fresco foi ficando longe e longe e longe. Como quando os vestidos das meninas parecem flutuar enquanto elas caminham, como quando o mundo parece um lugar mais iluminado porque o dia está azul e a vista da praça parece saída de um filme. Pra nós, tudo de alguma forma …Continue lendo.

Como lidar com a noção de que a última vez que vimos alguém foi a última vez definitiva? Como lidar com a enxurrada de pensamentos que batem, quando nos damos conta? É doloroso pensar em tudo que eu teria dito ou feito. Com as vezes em que eu poderia ter ligado ou aparecido ou visitado. Com as vezes em que eu poderia ter entrado em contato. É doloroso pescar da memória as lembranças, quando as lembranças são poucas ao longo desses meus vinte e cinco anos de vida. Ontem no início da madrugada …Continue lendo.

Eu gostaria que fizessem isso comigo?

Essa é a pergunta. A pergunta mais difícil e mais pesada. A pergunta que nós costumeiramente evitamos fazer. É tão fácil ser egoísta e não pensar em ninguém, especialmente se não ficamos lá pra ver as consequências. O que é comum pra mim pode ser devastador pra você e vice versa. Mas essa pergunta resolveria tudo. Essa pergunta tornaria tudo mais ameno e mais bonito e mais suave e a vida ficaria melhor e mais colorida caso ela morasse na cabeça de todas as pessoas. Diz respeito a qualquer …Continue lendo.

Perdoe-se

Vira e mexe me pego desmotivada com a vida. Esse exercício chato de pensar demais as vezes cansa e eu me sinto sobrecarregada por tudo. Não durmo direito, não como direito e fico remoendo uma porção de coisas que não deveria. Apesar de ter melhorado bastante, me sinto ainda muito presa ao passado e ao que deveria ou não ter feito de diferente. Carrego comigo uma bagagem bastante pesada de arrependimentos. Coisas que em sua maioria não dizem respeito a ninguém mais além de mim mesma. Sempre …Continue lendo.

Desacelerando

Fico pensando em como as coisas correm hoje em dia, e tudo que me dá vontade de dizer é “vá devagar, mundo”. Acho que não sou desse tempo. A velocidade me desconcerta e me faz sentir um mal estar enorme. Como se mesmo nos dias em que não faço quase nada um cansaço desmedido tomasse conta. É o cansaço da quantidade de coisas que vejo e leio e absorvo pela metade porque antes que eu termine já apareceu mais uma quantidade de coisas pra ver e ler e absorver. A realidade é que ninguém absorve …Continue lendo.

Dozehoras

Cabe mais que um dia de trabalho em dozehoras. Cabe mais do que eu durmo numa noite. Três vidas inteiras e uma penteadeira. Cabe nós dois. Cabem infinitos assuntos e gestos e passos e a chuva caindo e tornando o tempo mais frio. Uma porção de barquinhos iluminados e o céu no fundo. Cabe um banco de concreto e cabem as coisas ditas e as não ditas. E a voz e o cheiro e o tato. Cabem uma porção de coisas em dozehoras. Cabem olhares e sorrisos e risadas. Uma porção de risadas tão largas e …Continue lendo.

2014.2

Ultimamente tenho tido a sensação das coisas caminhando pra algum lugar melhor do que costumavam caminhar. Meu primeiro semestre foi cheio de reviravoltas que de alguma forma parecem fazer sentido no presente momento. Tudo que eu demorei pra aceitar ou não entendi parece se encher de propósito quando olho minha vida hoje. Temos a tendência ao desespero. Eu tenho, ao menos. Sou sentimental e a flor da pele, e quando me vejo em alguma situação ruim, incômoda ou confusa vou ficando dormente …Continue lendo.

Aspirador de Pó

Estou desde ontem sem conseguir escrever e sem conseguir colocar pra fora alguma coisa assim flutuante e densa que existe por dentro no momento. Quando achei que a inspiração finalmente tinha batido e ia começar a dizer todas as coisas que nem sei, ligaram o aspirador de pó e ruiu. Tudo ruiu. O pouquinho de capacidade por dentro foi embora porque quase nada me desconcentra, mas o aspirador faz parte do quase nada. Parece com certas pessoas. Certas pessoas são aspiradores de pó e tudo que dizem …Continue lendo.

Sorvete de gente

Me senti viva em meio a tantas coisas bonitas e feias e relevantes e irrelevantes. Me senti cheia de tudo aquilo, preenchida, absorta. As coisas tem a importância que damos a elas, feito poeira no vento, feito doce na vitrine. Me sinto envolta por tudo e tudo ao redor é luz e sombra e frio e o tempo passando em seu próprio ritmo. Esse ritmo tão único e tão particular e tão maleável que o tempo tem. Ele cura praticamente qualquer coisa e melhora praticamente qualquer coisa e faz praticamente …Continue lendo.